Quinta-feira, 05 de Novembro de 2009

Os portugueses optam cada vez pela Internet para encomendar produtos ou serviços, como viagens, livros ou revistas, uma forma de comprar já utilizada por 9,7%, revelou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE). O Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias refere que, no primeiro trimestre, 9,7% dos indivíduos entre 16 e 74 anos efectuaram encomendas on-line, ou seja, 20,9% dos utilizadores da Internet. "A proporção de indivíduos que efectuaram encomendas pela Internet tem vindo a aumentar nos últimos cinco anos" e desde 2005 o crescimento médio anual foi de 27,6%, subida mais acentuada na comparação com o ano passado, de 52,6%, explica o INE. O comércio electrónico é mais frequente em Lisboa, Algarve e Alentejo, com encomendas realizadas por 13,9% dos indivíduos no primeiro caso, 11,2% no segundo e 10,2% na região alentejana. Como aponta o INE, nas encomendas on-line são os indivíduos dos 25 aos 34 anos que mais recorrem à Internet, com 21,1%.

 

Por outro lado, apesar de existir uma menor diferença entre homens e mulheres face à utilização de computador e Internet, a proporção de homens que efectuam encomendas é superior às compras femininas em 3,5%, com 11,5% contra 8%. No entanto, é entre as mulheres que se regista um maior crescimento das encomendas pela Internet face aos dados de 2008, quando a utilização para este fim ficava nos 4,8%. É entre os indivíduos com ensino superior que se encontram as taxas de utilização mais elevadas e 34,8% usaram a Internet para efectuar encomendas no primeiro trimestre. Quanto à situação no mercado de trabalho, são os estudantes que mais encomendam (21,8%). Mais de metade dos consumidores que encomendaram pela Internet optou por pagar on-line com cartão de crédito e os produtos mais comprados foram viagens e alojamento (48,9%) e livros, revistas, jornais e material de e-learning (ensino por via electrónica).

 

Nove em cada 10 indivíduos que nunca efectuaram encomendas apresentam como justificação a preferência pelo contacto pessoal com o vendedor e com o produto.

 

Fonte: Lusa.



publicado por comunicaradireito às 14:38
Debater e reflectir sobre as leis da comunicação social. Coordenação: Jorge Ferreira
pesquisar neste blog
 
tags

televisão(106)

internet(105)

empresas(94)

imprensa(84)

história(62)

justiça(62)

opinião(53)

jornalistas(50)

escola(44)

blogues(42)

erc(41)

comunicação social(38)

eua(37)

informática(34)

liberdade de expressão(31)

jornalismo(25)

direitos de autor(24)

governo(22)

revistas(20)

publicidade(19)

reino unido(19)

pirataria(15)

liberdade(14)

política(12)

ps(12)

download pirata(11)

rádio(11)

censura(10)

crianças(10)

espanha(10)

agenda(9)

assembleia da república(9)

frança(9)

telecomunicações(9)

crise(8)

irão(8)

privacidade(8)

blogue para hoje(7)

concentração(7)

despedimentos(7)

direito à imagem(7)

língua portuguesa(7)

telemóveis(7)

eleições 2009(6)

cavaco silva(5)

ccpj(5)

china(5)

concorrencia(5)

prémios(5)

publicações(5)

serviço público(5)

comércio electrónico(4)

madeira(4)

provedor dos leitores(4)

psd(4)

suécia(4)

brasil(3)

futebol(3)

media(3)

regulação(3)

angola(2)

austrália(2)

bloguista(2)

canadá(2)

cds(2)

cinema(2)

clube de jornalistas(2)

consumidores(2)

coreia do norte(2)

cuba(2)

estado(2)

ética profissional(2)

google(2)

igreja católica(2)

iraque(2)

itália(2)

parlamento europeu(2)

pcp(2)

plágio(2)

sociedade da informação(2)

sondagens(2)

tribunais(2)

união europeia(2)

venezuela(2)

afeganistão(1)

alemanha(1)

américa latina(1)

anacom(1)

argentina(1)

artigo de opinião(1)

autoregulação(1)

benfica(1)

call centers(1)

casa da imprensa(1)

cia(1)

conselho deontológico(1)

coreia do sul(1)

dados pessoais(1)

despesa pública(1)

deveres dos jornalistas(1)

todas as tags